No artigo anterior abordamos as causas da enxaqueca, e explicamos o porquê de algumas pessoas sofrerem e outras não. Será importante agora perceber os sintomas associados e de que modo a fisioterapia ajuda.

Sintomas

Em uma enxaqueca, a dor pulsátil ou latejante normalmente é sentida em um lado da cabeça, mas pode ocorrer em ambos os lados. A dor pode ser moderada, mas é muitas vezes intensa e incapacitante. Atividade física, luz brilhante, barulhos altos, e determinados odores podem piorar a dor. Esta maior sensibilidade faz com que muitas pessoas prefiram estar numa sala escura e silenciosa.

A cefaleia é frequentemente acompanhada de náuseas, por vezes com vómitos e sensibilidade à luz, sons e/ou odores. Crises graves podem ser incapacitantes, interrompendo rotinas diárias e de trabalho. As enxaquecas geralmente tornam-se menos graves conforme a pessoa envelhece.

Fisioterapia na Enxaqueca

O papel da fisioterapia na enxaqueca tem como objetivo, minimizar as causas e consequências que geram incapacidade das atividades de vida diária e físico funcional, tais como: trabalho, relações interpessoais, sono, atividades física, sociabilidade, desempenho geral.

O tratamento consiste em diminuir o ciclo da dor e suas complicações associadas (ansiedade, depressão, stresse, distúrbios visuais, tontura, vômitos, alterações gastrointestinais, alterações musculoesquelética e posturais, entre outras).

OBJETIVOS DA FISIOTERAPIA NA ENXAQUECA

  • Reduzir a frequência e intensidade da dor;
  • Identificar disfunções musculoesquelética que contribuem para o ciclo da dor;
  • Ajudar a melhorar a gestão da dor no dia-dia;
  • Desenvolver e Personalizar um programa de exercícios;
  • Melhorar a tolerância para Atividades de vida Diária, trabalho e domiciliar.

Biografia

tratandoaenxaqueca.com.br/fisioterapia

Fisioterapia após artroplastia do joelho
Enxaqueca
Deixe o seu comentário