fisioterapia na tendinite do ombro é muito importante para diminuir a dor, que é o sintoma que usualmente leva o paciente a procurar a ajuda médica. Quando um tendão do ombro fica inflamado (a chamada tendinite), a dor pode ser muito intensa e tornar muito difícil quer os gestos do dia-a-dia (por exemplo vestir / despir), quer o descanso noturno.

Esta inflamação no ombro de origem tendinosa, ou seja, inflamação dos tendões que constituem a articulação do ombro, é mais frequente no tendão do músculo supra-espinhoso, que pertence ao grupo dos tendões da articulação entre o úmero e a omoplata (aos quais se dá o nome global de coifa dos rotadores). O quadro típico da tendinite do supra espinhoso é uma dor no ombro que aumenta de forma progressiva e que se agrava quando se realizam movimentos com o braço acima da cabeça e quando se dorme de lado para cima desse braço. Quando esta dor surge, é importante afastar a possibilidade de existir uma rotura neste tendão ou num dos outros tendões da coifa dos rotadores, que pode implicar outro tipo de tratamento. A tendinite pode também surgir no tendão da longa porção do bicípete braquial, outro músculo que faz parte da articulação do ombro.

A tendinite do ombro é mais frequente no membro superior dominante, pelo que atinge preferencialmente o ombro direito, mas também pode surgir no ombro esquerdo ou nos dois ombros ao mesmo tempo (tendinite bilateral).

A inflamação aguda de um tendão da coifa dos rotadores surge muitas vezes associada a alterações crónicas (antigas) a nível da estrutura do tendão, com desorganização das fibras tendinosas e dos vasos sanguíneos, a chamada tendinose da coifa, que é a mais frequente tendinopatia do ombro (patologia dos tendões desta articulação).

O tratamento fisiátrico na tendinite do ombro é fundamental também para impedir a diminuição das amplitudes articulares e da força dos músculos do ombro, isto é, para evitar que o ombro deixe de ter a funcionalidade que tinha antes de surgir a dor. É que normalmente o paciente faz menos vezes os movimentos que lhe despertam mais dor, o que pode dar origem a um défice de mobilidade e de força muscular do ombro, sobretudo se a dor persistir por algum tempo.

Medidas gerais do tratamento

  • Na tendinite do ombro deve-se efetuar, dentro do possível, um repouso relativo desta articulação,  evitando principalmente movimentos repetitivos e/ou com carga com esse braço, sobretudo se acima da cabeça.
  • Durante o período do sono, se é habitual dormir de lado, deve-se tentar não adormecer com o corpo por cima do ombro que está a doer.
  • Devem também ser evitados movimentos e/ou posturas em que o braço levanta de lado (abdução do membro superior), como por exemplo pegar num bilhete de estacionamento (quando se está dentro do carro) ou conduzir com o braço apoiado na janela.
  • O tratamento na tendinite do ombro pode incluir, para além da fisioterapia, diversas medidas, como a administração de medicação anti-inflamatória e analgésica, entre outras.

Em que consiste a fisioterapia?

A fisioterapia na tendinite do ombro utiliza diversos métodos e técnicas terapêuticas que têm como objetivos:

  • aliviar a dor;
  • controlar a inflamação;
  • promover a melhor recuperação do tendão;
  • evitar retrações da cápsula articular;
  • equilibrar os músculos que intervém na mobilização do ombro;
  • corrigir os movimentos incorretos do ombro;
  • retomar / aumentar a funcionalidade do paciente.

Leia o restante artigo escrito pela nossa Fisiatra, Drª Helena Fernandes, através do link Fisioterapia no tratamento da Tendinite do Ombro (saudebemestar.pt)

 

Exemplo de persistência
Mantemos as portas abertas
Deixe o seu comentário