A tendinopatia do tendão rotuliano ou jumper’s knee (“joelho do saltador”) é uma patologia comum em atletas praticantes de atividades de salto ou aquelas que exigem força de impacto repetitivo. Histologicamente, a sobrecarga excessiva no tendão pode provocar alterações na matriz extracelular, resultando em pequenas lesões que, cronicamente, poderão levar a um quadro de tendinose, principalmente na região do pólo inferior da rótula.

A dor na região anterior do joelho é o primeiro sintoma relatado pelo paciente portador do problema. O início desta dor é insidioso e gradual, principalmente após atividade física, mas, com a progressão da doença, pode tornar-se frequente durante ou até no início da atividade. O diagnóstico de tendinopatia rotuliana é eminentemente clínico, caracterizado por dor à palpação no pólo inferior da patela, por vezes acompanhada de edema na mesma zona. Exames complementares, como raio-x, ecografia e ressonância magnética (RM) auxiliam no diagnóstico, com os últimos dois a mostrarem maior utilidade, pois podem definir o local exato da lesão, sua extensão, como também identificar a presença ou não de alterações degenerativas.

O objetivo do tratamento passa por reduzir a dor e recuperar a função. Numa fase inicial, deve sempre ser utilizada uma abordagem conservadora (repouso relativo, crioterapia, modalidades fisioterapêuticas, exercícios de alongamento e fortalecimento muscular) e corrigindo (dentro do possível) as causas da patologia. Não resultando o tratamento conservador existe a possibilidade de efetuar outros tratamentos mais invasivos. Esta abordagem deve ser multidisciplinar envolvendo na decisão os médicos, fisioterapeutas, treinadores e os próprios atletas. Não tratada, a complicação mais comum é a dor persistente no desporto, no entanto é possível uma rotura espontânea do tendão. Esta complicação é grave e obriga a cirurgia imediata.

Na Clínica do Movimento, com localização de excelência em Vila Nova de Gaia, dispomos de todas as ferramentas necessárias para intervir de forma eficaz na tendinopatia rotuliana, assim como de profissionais dedicados e com experiência neste tipo de patologia, independentemente das características do paciente.

 

Autor: André Ferreira – Fisioterapeuta Lic., Pós Graduado em Terapia Manual Ortopédica.

Lavagem Nasal
Tendinopatia Rotuliana
Deixe o seu comentário