A lavagem nasal é um procedimento sem contra-indicações, de baixo custo e extensível a qualquer idade. Assume especial importância em bebés e crianças mais pequenas que não sabem assoar o nariz, uma vez que poderá existir uma acumulação das secreções nas cavidades nasais. Desta forma, podem surgir complicações tais como otites e infeções respiratórias, com repercussões importantes no sono, na respiração e no processo de alimentação.

Em que consiste?

A lavagem nasal envolve a aplicação contínua de uma solução salina (soro fisiológico) nas cavidades nasais. Idealmente deve ser instilado um jato contínuo de maneira a promover uma lavagem por arraste das secreções.

Com que frequência deve ser realizada?

Deve tornar-se um hábito diário desde que o bebé nasce e a frequência com que deve ser realizada varia de acordo com a idade do bebé/criança, época do ano e se o bebé/criança está constipado(a) ou com gripe. A quantidade de soro fisiológico a instilar é variável. De acordo com a literatura, até ao primeiro ano de vida deve ser administrada uma quantidade de 5 ml e após ano e meio poderão ser administrados até 10 ml de soro.

Quais são os seus benefícios?

  • A prática diária melhora a saúde nasal e sinusal;
  • Limpa o muco pegajoso e espesso, ajudando a reduzir a congestão nasal ao diminuir as secreções;
  • Permite que as cavidades nasais drenem livremente para que os alérgenos, irritantes, bactérias, vírus e outros contaminantes possam ser eliminados;
  • Ajuda a prevenir infeções respiratórias superiores, como a constipação comum;
  • Reduz a dependência de medicamentos como antibióticos, anti-histamínicos, esteróides nasais, descongestionantes e medicamentos para a asma;
  • Alivia a secura nasal;
  • Melhora o sentido do olfato;
  • Melhora o sentido do paladar;
  • Ajuda a tratar a sinusite e a rinite;
  • Reduz a rinite alérgica;
  • Reduz a tosse e outros sintomas de gotejamento nasal posterior;
  • Pode reduzir o ressonar;
  • Pode reduzir o sangramento nasal;
  • Ajuda a aliviar as dificuldades respiratórias causadas por doenças como a fibrose quística e outras;
  • Hidrata os tecidos nasais;
  • Promove uma respiração mais profunda e relaxada.

A que sinais devo estar atento?

Os pais devem estar atentos a alguns comportamentos do seu bebé:

  • Prostração e irritabilidade;
  • Diminuição do apetite;
  • Alteração do padrão de sono.

Estes sinais podem estar relacionados com dificuldade respiratória.

Este artigo constitui apenas uma orientação aos pais, sendo que a sua leitura nunca deve substituir a opinião e consulta do profissional de saúde que acompanha o seu bebé.

A Clínica do Movimento integra no seu corpo clínico Fisioterapeutas com formação específica nesta área que o podem ajudar.

Autora:  Joana Coutinho – Fisioterapeuta Lic., Mestre em Fisioterapia Neurológica 

Pubalgia
Tendinotapia rotuliana
Deixe o seu comentário